Dicas, Empreendedorismo

Aprenda aqui a precificar seus produtos sem medo de errar a conta

Março 20, 2018
Tempo de leitura 4

Para quem produz doces ou bolos caseiros e em pouca quantidade, a tarefa de dar preços às coisas pode ser bem difícil. Principalmente se a demanda vem de familiares, amigos, ou pessoas próximas, o produtor pode ficar constrangido na hora de cobrar pelo seu trabalho ou então pedir um valor menor porque não sabe exatamente por quanto deveria vender o produto. Mas qual a forma ideal para fazer a precificação de produtos artesanais?

Neste texto vamos abordar algumas práticas necessárias para chegar a um valor final que seja justo para você e para seus clientes. Confira!

Qual seu custo com matéria prima?

A primeira ação é bem óbvia: você deve calcular o quanto gasta de material ao fazer aquele produto. Para calcular o custo de uma unidade de brigadeiro, por exemplo, você deve somar os preços pagos por cada ingrediente proporcionalmente à quantidade usada.

Se a receita gasta 500g de chocolate, mas ele vem em uma embalagem de 1kg que custa R$ 30, então o valor a entrar na soma é R$ 15, já que você gastou só metade. Se rende 50 unidades, então esses R$ 15 devem ser divididos por 50. Para cada brigadeiro, R$ 0,30 é referente ao chocolate (15/50 = 0,30). Faça isso com todos os ingredientes e some.

Outros gastos, como energia, gás, água e os instrumentos necessários, também devem ser contabilizados. Como é difícil saber a quantidade exata utilizada com essas coisas, uma prática bem aceita no mercado é adicionar 10% no valor atingido com os ingredientes.

Suponha que a soma dos ingredientes deu R$1,50 por brigadeiro. Incluindo esses outros gastos ficaria R$1,65 (1,50 + 10% de 1,50 = 1,50 + 0,15 = 1,65)

Qual o valor da sua mão de obra?

Um tópico importante na hora da precificação de produtos é o custo da mão de obra. Quando se paga um ajudante, é fácil: o custo é o salário, acrescido dos encargos e impostos.

Mas e o próprio salário? Muitos microempreendedores simplesmente não contabilizam o valor de seu trabalho — um erro gravíssimo, já que o seu tempo, seu conhecimento e seu esforço seriam remunerados em qualquer outro emprego.

Para adicionar o valor da sua mão de obra, tenha em mente o preço da sua hora de trabalho. A partir dele, multiplique pelas horas trabalhadas no mês e então divida pela produção mensal.

Por exemplo, se sua hora vale R$12,50 e você trabalha 4h por dia, cinco dias por semana, seu salário seria de R$ 1.000,00. Se você produz 20 mil unidades de brigadeiro por mês, você deve adicionar R$ 0,05 no preço de cada docinho. Voltando no nosso exemplo, o preço de custo seria R$ 1,70 (1,65 + 0,05).

E a margem de lucro?

Um outro aspecto bem importante é o lucro. Se você vender o produto a preço de custo, ficará sempre na mesma, vendendo apenas para cobrir os gastos com a produção. E lembre-se que o seu salário não é lucro: faz parte do preço de custo.

Então, como calcular a margem de lucro? Depende do que você deseja: se o objetivo é crescer, ter dinheiro para investir em escritórios, máquinas, funcionários, etc., talvez você precise de uma margem maior, de 30 a 40%. Se você pretende continuar como microempreendedor, e a margem de lucro será revertida para uso pessoal, então uma média de 10 a 25% deve ser o suficiente. Para calcular a margem, você deve definir qual vai ser o mark up para definir o preço de venda. A margem de lucro é calculada subtraindo o custo do valor total de preço de venda.

Exemplo 1: Mark-up de 10%, o preço de venda seria de R$1,87 (1,70 custos + 10% = 1,87).

1,87 – 1,70 = 0,17

0,17 / 1,87 = 9% margem de lucro

Exemplo 2: Se você aumentar o Mark-up para 20%, o preço de venda seria R$ 2,04 (1,70 + 20% – 2,04)

2,04 – 1,70 = 0,34

0,34 / 2,04 = 16% margem de lucro

Qual o preço médio do produto?

Agora que você chegou a um valor final, contabilizando o preço de custo e a margem de lucro, é hora de ver se esse preço é praticável. Para isso, faça uma pesquisa de preços de artigos semelhantes aos que você produz.

Na hora da precificação de produtos, também é importante lembrar que seu item pode ter fatores que o tornam mais raros ou mais de nicho, o que faz o preço subir. Uma embalagem especial, por exemplo, vai agregar valor.

Gostou dessas dicas e já sabe como dar preço para seus docinhos e bolos? Agora que tal descobrir os vários tipos de moldes para chocolate existentes?

produtos-pascoa

Você também pode gostar

2 Comentários

  • Reply Saiba como cobrar clientes de maneira amigável - Chef Center BlogChef Center Blog Abril 12, 2018 at 10:19 pm

    […] que, no momento em que você decidiu exercer determinada função, escolheu também ser pago por isso ― salvo em situações bem específicas nas quais fica claro desde o início que o produto não […]

  • Reply Entenda a importância do planejamento financeiro para seu negócio! - Chef Center BlogChef Center Blog Abril 20, 2018 at 10:26 am

    […] Se você quer que seu negócio vá para frente, precisa entender que planejar é preciso, sim! Veja, aqui, 3 vantagens de um bom planejamento financeiro! […]

  • Deixe uma resposta

    Scroll Up
    %d blogueiros gostam disto: