Curiosidades

Alergia a alimentos: saiba quais são os tipos e como trabalhar com este nicho

novembro 17, 2020
Alergia a alimentos

Com a evolução das investigações de saúde e da medicina preventiva, é cada vez mais comum que as pessoas descubram algum tipo de alergia a alimentos. A consequência dessa sensibilidade é a indicação médica de dietas livres do alimento prejudicial. Com isso, cresce cada vez mais a tendência de procurar por produtos que auxiliem nas dietas sem algum tipo de alimento ou nutriente.

Quem quer ter diferenciais no mercado e vender mais não pode perder de vista as possibilidades de produzir itens especiais, atendendo às demandas de pessoas alérgicas. Para aprender mais sobre esse mercado e criar mais variedade em sua oferta de produtos, acompanhe este artigo até o final!

Quais são os alimentos que mais causam alergias?

Alguns tipos de alimentos contêm nutrientes conhecidos por causar reações alérgicas com frequência. Podemos destacar:

  • alimentos com glúten: trigo, cevada, centeio e aveia (em algumas apresentações);
  • ovos;
  • peixes e crustáceos;
  • nozes, oleaginosas e amendoim;
  • leite e derivados;
  • soja.

O que é alimentação free-from?

O modelo de alimentação “free-from” é traduzido como “livre de” algum alimento com potencial alergênico, ou que traga desconfortos para o consumidor. As alergias alimentares são comuns na infância e podem desaparecer na vida adulta. Elas também podendo surgir em idades mais avançadas, como no caso da intolerância à lactose.

Por isso, em algum momento da vida os consumidores decidem retirar algum nutriente de suas dietas, deixando de consumir alimentos que não sigam suas restrições. Há muitas pessoas que, mesmo tendo reações menos acentuadas, continuam preferindo eliminar certos alimentos de sua dieta. Outros passam a dispensar certos tipos de alimentos para melhorar o controle do peso. As restrições podem surgir, ainda, por questões éticas, como é o caso das pessoas que adotam uma dieta livre de produtos com origem animal, ou dieta vegana.

As versões mais conhecidas da alimentação “free-from” são as alimentações sem glúten, sem lactose ou sem ovos. Incluir produtos que atendam a esse tipo de demanda é muito importante para ter um bom mix de produtos em seu cardápio.

Como atrair novos clientes com a segmentação free-from?

O público com alergia a alimentos tem necessidades específicas que muitas vezes não são atendidas pela indústria tradicional. Por isso mesmo, este é um segmento de grande potencial para os pequenos negócios que atuam em alimentação, capazes de oferecer maior customização e um mix de produtos mais completo.

Criar produtos especiais para quem tem alergias dá trabalho, mas também é muito lucrativo. Justamente por ser um produto segmentado, os preços mais altos são bem aceitos. Quem investe em oferecer bons produtos, com ingredientes de qualidade e saborosos terá uma clientela fiel. Para saber como investir na segmentação “free-from” e fazer sucesso, veja nossas dicas a seguir!

Pesquise o mercado

Para que um novo segmento seja interessante para sua empresa, é bom pesquisar se há demanda em sua área de atuação. Confira as buscas em redes sociais, grupos temáticos, blogs especializados no tema e outros locais em que as pessoas pedem recomendações para compras.

Avalie também se há concorrentes oferecendo produtos para as restrições que serão incorporadas ao cardápio. Não se limite a conferir o trabalho de quem faz exatamente os mesmos produtos! Quem vende doces, por exemplo, pode se inspirar nas opções ofertadas por um concorrente indireto, que vende pães.

Aproveite para conferir as variações de preço e outras ideias que possam ser replicadas em seu negócio. A pesquisa é o momento para expandir seus horizontes e conferir qual o potencial dos novos produtos.

Peça feedback

Não existe ninguém melhor para dizer quais são os desejos de uma pessoa com alergia a alimentos do que alguém que vivencia essa questão. Peça conselho aos clientes, ouça as críticas e sugestões. Trabalhe com foco nos clientes, pois eles fornecem informações preciosas quando são realmente ouvidos pelas empresas.

Nessas conversas, não deixe de prestar atenção a necessidades ainda não atendidas, produtos que poderiam ser criados e torne seu mix de produtos mais atrativo. A preocupação com a opinião do público aprimora a qualidade dos produtos e fideliza os clientes, que se sentem mais próximos da empresa.

Invista na comunicação

Quem tem restrições alimentares gosta de receber o máximo de informação possível sobre os produtos que consome. Assim, quem comunica de forma clara aos clientes sobre a composição dos alimentos vendidos, deixando claro os componentes e processos de produção, sai à frente na disputa pela preferência do consumidor.

Para ter um bom desempenho nas vendas para pessoas com alergia alimentar, capriche na rotulagem. Agregue ao rótulo as informações sobre componentes, presença de traços de produtos que causam reações e outras informações úteis.

Também vale a pena elaborar materiais informativos sobre os processos de produção especiais para divulgação dos produtos. Por exemplo:

Se você investiu em um espaço especial e novos equipamentos para criar uma cozinha completamente gluten-free e segura para celíacos, conte isso para seus clientes! Faça vídeos, mostre como o processo funciona, explique mais detalhes sobre as normas técnicas aplicáveis. Com certeza, isso reforçará sua autoridade no segmento e atrairá muitos consumidores para seu negócio.

Reforce o treinamento da equipe

Produzir alimentos para quem tem restrições é um trabalho muito sério. Por isso, uma equipe bem treinada é fundamental para garantir o padrão de qualidade.

Para quem quer atuar servindo clientes com alergia a alimentos, é importante buscar a consultoria de especialistas no assunto, como nutricionistas. Será necessário adaptar processos de produção, receitas e práticas de manuseio, para que os produtos sejam seguros para alérgicos e intolerantes.

Todos devem se comprometer a realizar o trabalho de acordo com as normas sanitárias pertinentes ao segmento atendido. A formação continuada dos profissionais que atuam na empresa é o melhor caminho para aperfeiçoar a produção.

Explorar as possibilidades de produção de produtos “free-from” para atender pessoas com alergia a alimentos é uma estratégia muito interessante para quem quer ter diferenciais no mercado. Dessa forma, sua empresa inova e abrange novos públicos, ofertando um mix de produtos mais rico, tornando-se mais competitiva.

Se você gostou do artigo e quer se manter em dia com as novidades do setor, não deixe de se inscrever em nossa newsletter. Enviamos as novidades de forma gratuita, diretamente em seu e-mail!

You Might Also Like

No Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: