Empreendedorismo

6 tipos de chocolate para além do ao leite e do chocolate branco

fevereiro 23, 2021

Quando alguém vai à confeitaria para comprar sobremesas, as preparações feitas com chocolate são eleitas as favoritas. Seja na forma de mousse, bolo, creme, pavê, cobertura ou puro, esse ingrediente está presente em várias receitas e faz sucesso no mundo. Mas você sabe quais são os tipos de chocolate que existem?

Além de saboroso, esse doce é democrático e versátil: consegue atender variados públicos e agrada os diferentes paladares com seus níveis de doçura. Esse alimento, além de fornecer energia ao corpo, é considerado poderoso graças à sua concentração de cacau, um fruto que faz muito bem para a saúde.

Se você deseja conhecer quais são os principais tipos de chocolate, continue a leitura deste post!

Quais são os principais tipos de chocolate?

Existem vários tipos de chocolate que podem ser usados nas mais variadas receitas. Conhecer as suas características é muito importante para inovar nas criações confeiteiras, principalmente para oferecer alternativas diferentes aos clientes.

Veja, a seguir, as principais variações desses ingredientes!

1. Chocolate amargo

É o chocolate que contém a maior concentração de cacau puro, chegando a compor até 80% da fórmula. Ele contém manteiga de cacau, açúcar e sementes de cacau. Por não apresentar leite, sua cor é mais escura, sendo considerado a melhor opção para aproveitar todos os benefícios do fruto.

Esse tipo de chocolate é mais nutritivo, puro e proporciona propriedades antioxidantes, o que colabora para a saúde do coração. Praticamente em todas as receitas em que se usa chocolate ao leite, a substituição pelo amargo pode ser feita sem problemas. Brownies, chocotone, ganache, brigadeiro e ovo de páscoa podem ser preparados com essa iguaria.

2. Chocolate ao leite

Esse tipo de chocolate é um dos mais consumidos no Brasil. Ele apresenta cerca de 25% de cacau, mais de 12% de leite e açúcar, e é o mais doce. Ao comparar com o amargo, ele apresenta um maior valor calórico e um teor de cacau menor.

O chocolate ao leite também leva a adição de leite em pó para chegar na textura cremosa, sabor doce e cor marrom clara. Além disso, pode ser adicionado em sua preparação a gordura hidrogenada e, por isso, não é a versão mais saudável.

Como esse chocolate apresenta menor quantidade de massa de cacau, é pobre em nutrientes e fitoquímicos, o que não propicia vantagens ao corpo como a versão amarga. Seu sabor adocicado é ótimo para a preparação de ganaches para cobrir ou rechear bolos, trufas, recheios para tortas, bombons, ovos de páscoa e tudo que a criatividade permitir.

3. Chocolate branco

A semente de cacau não faz parte do chocolate branco. Ele é feito com uma quantidade grande de manteiga de cacau, leite e açúcar, e é considerado bastante calórico. Além disso, traz poucas vantagens para a saúde, pois não apresenta as substâncias benéficas do cacau.

Para utilizá-lo nas receitas, é fundamental ficar atento à temperatura durante o processo de temperagem, que acontece a 28°C. Quem trabalha com esse tipo de ingrediente sabe que é essencial temperá-lo de modo correto, já que isso interfere na qualidade e na estética do produto.

4. Chocolate ruby

Descoberto recentemente, o chocolate ruby tem a cor rosada e sabor bastante intenso. Ele é produzido a partir da extração do cacau ruby, cultivado na Costa do Marfim, Equador e Brasil. O seu sabor é mais acentuado, levemente azedo e com notas frutadas.

Para que o sabor fosse realmente criado, os pesquisadores da Barry Callebaut fizerem vários estudos e aperfeiçoamentos até chegar ao resultado final. Essa exclusividade da marca leva a um chocolate com cerca de 47% de teor de cacau e 36% de gordura.

Por ser diferente, vale a pena investir no uso desse chocolate. Você pode preparar brigadeiro, creme belga, palha italiana, ovo de chocolate, entre outras delícias.

5. Chocolate de soja

A soja é um grande substituto para produtos de origem animal, como a carne e o leite. No caso do chocolate de soja, o leite da vaca é substituído pelo de soja, e o açúcar refinado dá lugar a sucralose.

Assim, esse tipo de produto é uma boa opção para quem tem intolerância à lactose, alergia ao leite ou para as pessoas que seguem um estilo de vida vegano.

6. Chocolate de alfarroba

A alfarroba é o fruto de uma árvore utilizado para a substituição do cacau durante a fabricação do chocolate. Ela contém uma quantidade menor de gordura e é uma boa opção, já que o sabor é parecido com o chocolate tradicional.

Esse fruto é fonte de potássio, vitaminas e fibras. Além disso, não é rico em lactose, glúten e cafeína. Esse produto é encontrado em bombons, gotas, ovos de páscoa, barra e em pó. A alfarroba não tem açúcar em sua composição, podendo ser consumido por quem tem diabetes.

Qual é a classificação dos chocolates em relação ao tipo de gordura usada?

Em relação ao tipo de gordura, os chocolates podem ser classificados em 3 tipos: nobres, fracionados e hidrogenados.

Nobres

O chocolate nobre é aquele feito com os seguintes ingredientes:

  • baunilha;
  • açúcar;
  • manteiga de cacau;
  • licor.

Essa composição é a base dos chocolates meio amargos e amargos. O ao leite leva a adição de leite, e o branco não tem licor de cacau, mas contém leite. O chocolate nobre apresenta algumas características que só eles têm, como barulho seco ao se quebrar e brilho único após a temperagem.

Fracionados

O chocolate fracionado é usado em coberturas. Nesse caso, a manteiga de cacau é parcialmente substituída por uma gordura vegetal. Ele apresenta uma cobertura aveludada e não precisa passar pelo processo de temperagem. Esse produto é ideal para fazer decorações de doces e para banhos de chocolate.

Hidrogenado

Esse tipo de chocolate também é usado em coberturas. Durante o processo de fabricação, a manteiga de cacau é substituída pelo óleo de palma ou babaçu, por exemplo. O chocolate hidrogenado não precisa passar pelo processo de temperagem e costuma ser utilizado em decorações de doces e bolos.

Agora que você já conhece os principais tipos de chocolate, lembre-se de observar as características de cada um para escolher o ideal para as suas receitas. Com isso, é possível preparar diferentes doces e agradar os mais variados paladares.

Gostou do conteúdo e quer saber mais? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!

You Might Also Like

No Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: